Para diretor da Folha, jornalismo teve pilares abalados pela tecnologia

friasfilho_tvfolha

Frias Filho acredita que o momento é de desafios (Imagem: Reprodução/ TV Folha)

O diretor de redação da Folha de S.Paulo, Otavio Frias Filho, afirmou que o jornalismo vive momento de “profundo paradoxo”: ao mesmo tempo em que nunca se divulgou nem se leu tanta notícia, os pilares que sustentavam o setor foram “abalados pela transformação tecnológica”. “Bom jornalismo é atividade dispendiosa. Embora exista um público muito promissor disposto a remunerar o trabalho na forma de assinatura digital, a perspectiva publicitária nesse campo tem se mostrado mais problemática”, comentou o executivo.

 

Frias Filho acredita que o momento é de desafios

A declaração foi dada durante a abertura do Encontro Folha de Jornalismo, ciclo de debates promovido Museu da Imagem e do Som, em São Paulo, nessa quinta-feira, 18. O evento, que discutirá o panorama e desafios do setor, faz parte das comemorações dos 95 anos de atuação do impresso, data celebrada nesta sexta-feira, 19.

Em seu discurso, Frias Filho comentou que, por um lado, uma série de veículos surgiu, novos leitores surgiram e as redes sociais se tornaram um terreno amplo de debates sobre que é publicado no universo jornalístico. Por outro lado, segundo ele, “a equação econômica que permita sustentar o jornalismo como serviço independente e criterioso, movido pelo espírito público, ainda está por ser solucionada”.

Logo após a declaração, o primeiro painel foi iniciado com a temática “Novas formas de informar”. Os jornalistas Eugênio Bucci, articulista do Estadão, Leão Serva, colunista da Folha, e Vera Brandimarte, diretora de redação do Valor Econômico, participaram da mesa, mediada pelo editor-executivo da Folha, Sérgio Dávila.