Novo olhar para o digital e os novos rumos do mercado

Eye-Viewing-Digital-114785992_645x400A tecnologia digital não é mais algo distante. As empresas podem inovar hoje! A questão é que boa parte das corporações está imersa nos processos do dia a dia e não dedicam tempo para inovar. Embora os 4Ps de marketing do Kotler ainda sejam importantes, a dinâmica de mercado requer uma comunicação mais eficiente ágil, personalizada e com foco no one to one e não apenas no one to many.

Você sabia que esta evolução tecnológica pode estar a favor do seu negócio? Primeiro, é preciso entender como a inovação digital está transformando a rotina das empresas, a exemplo das startups. Empresas que deixaram de inovar sofreram riscos ou até perdas de negócios. A Blockbuster, por exemplo, foi engolida pela Netflix. Com uma curva acima da média de crescimento no mercado global, a Netflix é a maior rede de TV do planeta reunindo 75 milhões de assinantes em 190 nações. A empresa anunciou receitas no valor de US$ 1,672 bilhão no último trimestre de 2015, frente ao US$ 1,305 bilhão do mesmo período de 2014.

Outro caso, como sabe, o WhatsApp foi adquirido pelo Facebook por 19 bilhões de dólares e está perto da marca de 1 bilhão de usuários. Como estratégia de crescimento em 2016, o WhatsApp anunciou que deixará de cobrar a anualidade de US$ 1 pelo uso do aplicativo, que chegou a derrubar a receita das operadoras no ano passado. O setor de telefonia celular apresentou queda de 2,8% no número de linhas ativas em 2015, segundo a Anatel. Este cenário mostra como os clientes estão optando por trocar mensagens de texto e de voz por meio de aplicativos como o WhatsApp, que utilizam apenas dados de internet. Cada vez mais as operadoras terão que se reinventar e, certamente, terão que explorar novas áreas além dos serviços de telefonia como a venda de banda. Esta é uma mudança de paradigma impulsionada pela tecnologia, que favorece a mente das melhores empresas preparadas. No entanto, as vencedoras são aquelas que melhor responderem pelo inesperado.

A inclusão dos bancos no mundo digital reforça esta tendência. Quando se pensa num banco inovador, imagina-se que o cliente faça uso de um cartão multibank, cadastre-se apenas via smartphone, entre outras facilidades. Tudo na palma da mão. Sem contar a criação do Bitcoin como revolução da moeda convencional e uma forma inteligente de negociação online.

Para inovar é fundamental o uso de pesquisas que abordam o hábito de consumo dos usuários. Estudos mostram que 80% dos consumidores consideram as opiniões online na hora da compra e não confiam em propagandas tradicionais; 43% das pessoas não compram produtos se não encontrarem informações online; e grande parte da população assiste à TV enquanto está conectada numa rede social. De acordo com o eMarketer, a previsão é que 41,1 milhões de brasileiros façam pelo menos uma compra online em 2016, um crescimento de 10,1% em relação ao último ano. Veja algumas dicas que podem mudar o seu olhar sobre a tecnologia e inspirá-lo a inovar, hoje:

1. Diagnóstico: analise seu negócio e seus concorrentes dentro do ecossistema digital. Compare sua maturidade e veja o que está sendo feito. Entenda suas presenças digitais (website, app mobile, enfim, o seu universo online). É importante ter a visão de como estão todos os seus touchpoints. Se o website é só informacional, de relacionamento ou transacional. O importante é identificar os seus canais digitais e entendê-los, para saber qual é a demanda e como o seu negócio pode se beneficiar. Apare as arestas e foque no que é extremamente importante ao consumidor desse universo;

2. Engajamento: entenda “qual é” e “quem dentro da sua empresa” é capaz de captar essa revolução digital. Avalie todas as opções: desde o CEO, CMO ou qualquer outro executivo específico que possa capitanear isso como uma estratégia de negociação. O digital tem que ser absorvido por toda a empresa. Você pode ser inovador na hora de vender, criar ou oferecer o seu produto. Mas, é preciso que a liderança da empresa tenha esse olhar para a tecnologia e dê um norte para engajar todos os colaboradores, ajudando na missão de digitalizar o negócio;

3. Estratégias: estabeleça estratégias a seguir. Avalie as percepções das pessoas, o que falam sobre a marca. Use essas informações para a gestão da presença digital da sua empresa e elabore estratégias para melhorá-la. O profissional de marketing não cria necessidades, elas já existem. Basta criar o desejo e o modo de trazê-lo para o seu universo digital. Hoje, uma marca não é reconhecida pelo o que ela diz, mas pelo o que ela oferece. Quanto mais relevância a marca tiver, uma melhor experiência ela precisa entregar;

4. Analytics: trabalhe o business intelligence, analytics, sustentando e retroalimentando a sua estratégia. Combine tudo isso às táticas online em tempo real. Você terá um resultado muito maior ao mensurar o que está dando certo, impactando o consumidor na hora ideal e com a mensagem correta;

5. Expertise: opte por uma empresa especializada em digital, capaz de realizar uma análise profunda, aplicar estratégias e integrar todos os seus sistemas. Tudo, alinhado com o seu time interno. O papel dos especialistas é justamente fazer “o cavalo de pau do transatlântico”, isto é, aplicar a tecnologia a favor da melhor estratégia e fidelização do cliente.

O fato é que se o negócio ficar atrelado apenas as velhas formas ou pensamentos, sem explorar a tecnologia por meio de estratégias de Design Thinking, Analytics e Digital Marketing, poderá sofrer graves consequências. Buckminster Fuller dizia: “Você nunca muda as coisas lutando contra a realidade existente. Para mudar alguma coisa, construa um novo modelo que faça com que o modelo existente esteja obsoleto”. As marcas precisam entender que a brincadeira acabou no meio digital. A inovação vai ser cada vez mais vital às empresas. Portanto, se a sua empresa não inovar, alguma outra irá e poderá dar uma rasteira, mudando o curso do mercado. O grande ponto dessa mudança é a tecnologia. Fique atento, porque a hora de investir em digital é agora!

Por Marcelo Trevisani